Cultura celular: estudo das células e técnicas de cultivo

Compartilhe

cultura celular compreende um conjunto de técnicas que envolve a distribuição e isolamento de células em um ambiente artificial (in vitro) com o objetivo de estudar a sua fisiologia e bioquímica.

O termo cultura significa manter vivo e crescer em um meio apropriado que simula as condições naturais. Dessa forma, um grupo particular de células pode ser cultivado em grandes quantidades para estudar suas atividades, diferenciações e proliferações.

Todas as coisas vivas (ou organismos) são compostas por células: pequenas unidades delimitadas por membranas, preenchidas com uma solução aquosa concentrada de compostos e dotadas de uma capacidade extraordinária de criar cópias delas mesmas. Organismos superiores, como nós, são comunidades de células originadas por crescimento e divisão de uma única célula fundadora.

Uma célula é então a unidade básica estrutural, funcional e biológica de todos os seres vivos. Para entender um organismo ou tecido, é importante entender como funcionam suas células.

Nesse sentido, a cultura de células se tornou um método valioso para estudar seus mecanismos de operações, sendo empregada em diversas áreas, principalmente na biotecnologia e medicina. Sua aplicação compreende desde pesquisas sobre o câncer até a fabricação de vacinas, produção de proteína recombinante, seleção e melhoria de medicamentos, terapia genética, biologia de células-tronco e tecnologia de fertilização in vitro.

Isolamento de células e seu crescimento em cultura

A maioria dos procedimentos bioquímicos requer que grandes quantidades de células sejam rompidas fisicamente para se ter acesso aos seus componentes. Se a amostra é um pedaço de tecido, populações de células diferentes estarão misturadas. Para obter o máximo de informações possíveis, foram desenvolvidas maneiras para dissociar as células dos tecidos e separá-las de acordo com o tipo.

As células cultivadas em meio de cultura fornecem uma população homogênea de células das quais o material pode ser extraído, sendo apropriadas para se trabalhar no laboratório.

A maioria das células vegetais e animais pode sobreviver, multiplicar-se e até mesmo expressar propriedades diferenciadas em um frasco de cultura. As células podem ser observadas continuamente ao microscópio ou analisadas bioquimicamente, e os efeitos de adicionar ou remover moléculas específicas, como hormônios ou fatores de crescimento, podem ser estudados de forma sistemática.

Tipos de cultura celular

Cultura celular primária

As células retiradas de animais ou vegetais e cultivadas diretamente constituem as culturas primárias. Essas células possuem as características do tecido de origem e podem crescer em cultura por um determinado período de tempo. Em geral, as células das culturas primárias morrem após certo número de divisão celular.

Cultura celular secundária

As células secundárias derivam de subculturas de células primárias. Essa subcultura refere-se à transferência de células de um frasco de cultura para outro, que pode ser realizada repetidas vezes. Periodicamente é necessário fornecer nutrientes frescos e espaço. Essas células frequentemente apresentam várias das propriedades correspondentes à sua origem.

Linhagem Celular Contínua

São células que ainda não perderam as características do tecido de origem, mas possuem alta proliferação. Esse tipo de célula é chamada de linhagem celular contínua, pois pode dividir-se indefinidamente. Muito utilizada em pesquisa, uma vez que pode ser mantida em cultura por um grande período de tempo e ainda guarda grande parte das características do tecido original.

Células transformadas

Quando as características da célula são modificadas, elas deixam de ser geneticamente e morfologicamente semelhantes ao tecido original e por isso são chamadas de células transformadas. As células transformadas também podem ser obtidas diretamente de tecidos já modificados, como é o caso de tecidos tumorais.

Técnica básica de cultivo celular

As condições de cultura variam amplamente para cada tipo de célula. Entretanto, o ambiente artificial em que as células são cultivadas invariavelmente consiste em um frasco adequado contendo um substrato ou meio que fornece os nutrientes essenciais (aminoácidos, carboidratos, vitaminas, minerais), fatores de crescimento, hormônios e gases (oxigênio, gás carbônico) e controle o físico-químico (pH, pressão osmótica, temperatura).

As células que requerem uma ligação para crescimento e dependem de ancoragem podem ser cultivadas fixas a um substrato sólido ou semi-sólido, chamadas de cultura aderente ou monocamada. Já as células que não necessitam de fixação podem ser cultivadas flutuando na cultura, são chamadas de cultura em suspensão.

Além disso, as culturas de células são normalmente fornecidas como culturas puras, contendo apenas uma única linhagem. Ou seja, está em contraste com ambientes naturais onde uma diversidade de microrganismos está geralmente presente.

Para isso, é importante trabalhar num ambiente livre de contaminação e com produtos que forneçam as melhores condições de crescimento e reprodução celular.

Fonte

  • Portal de notícias Kasvi

Referência


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *